Hoje a forma como as pessoas tratam as outras devido cultura, família, amigos, botecos e casas noturnas, pode ser o erro que sabemos estar cometendo e muito pouco lutamos para corrigi-los, devido ao egocentrismo provocado por alguma bebida ou pensamento fora do mundo em que vivemos.
 
        A facilidade de irmos e virmos, com a falta de compreensão e a falta de senso humano, como o respeito, nos impelem a tomar atitudes que julgamos nós, necessárias para um mundo melhor. E aí vem a pergunta: O que é um mundo melhor?
 
       Um mundo sem violência, com diversos passarinhos cantando em sua janela, amores que vem com força e quando vão, não causam impacto algum? Dinheiro abundante, sorrisos falsos e muitas vezes mediocres?
 
        Não. O mundo melhor é esse que vivemos. Apenas não o enxergamos. Nós enxergamos não o que nos mostram na Tv, mas exergamos o que querermos enxergar. Entendeu? Entendeu que o mundo só se torna saudável quando vemos as coisas além das mascaras de cavalo impostas por nós mesmos? Quando sabemos que o mundo depende de nós para aí sim nós dependermos dele? Isso é devaneio.
 
        A grande verdade, é que alguns, depois de lerem isso, simplesmente apertaram o backspace e dirão: Mundo melhor? Isso é barulho.
 
       E volta com sua máscara de cavalo para um boteco, com diversos pretensos amigos, que podem impulsionar ao erro ou acerto.
 
       Quer saber?
 
       Vou tomar minha cerveja porque sou egocentrico. Gosto de ver o mundo girando ao meu redor.”
 
Rodrigo Bianchini