Antes de mais nada, as mulheres casadas, divorciadas, largadas, mal tratadas, escurraçadas, mal amadas e separadas, são simplesmente mulheres e precisam de amor.

        Quantas vezes as mulheres divorciadas e com filhos é considerada a mulher carente que sairá dando pro primeiro que jurar amor. Quantas vezes essas mulheres acabam caindo nas garras de um sedutor que a maltrata mais que o próprio ex-marido.

        As mulheres divorciadas precisam sem acolhidas, mas não no senso de dó. Precisam do abraço de um amigo, que não tenha intenção de comer ela e sumir.

        Na verdade, de tantas mulheres divorciadas, viúvas e afins, grande parte delas teve o que eu dei: Carinho. O sexo é uma consequencia da necessidade e desejo dos dois. Não necessariamente precisa acontencer.

        Um bom exemplo, bem sexual sobre “Quando um não quer, dois não faz” é o sexo oral.

        Não são todas as mulheres que gostam, outram adoram, e uma pequena parcela faz isso para satisfazer o parceiro. Isso é algo tão vazio se for visto de forma mais ampla. Porque eu tenho que gozar na boca dela? Só porque ela é solteira, divorciada e descontente temporariamente com os homens, eu tenho que esquecer que a boca é dela e ela esta fazendo ou porque quer ou porque “eu” quero?

        Trate a mulherada com respeito. Por mais cafajeste que for, pelo menos você avisou que só queria uma “trepadinha”.

        Mulheres, procurem se arrumar e preservar seu corpo. Mas não deixe de saciar sua vontade. Mesmo que sozinha, com seus 5 dedos mágicos que vc possa desejar (Nicholas Cage, Brad Pitt, Rodrigo Santoro, Van Diesel e Humberto Martins).

        E homens… não esqueçam. Sexo oral é bom, mas a boca não é a sua. Então, respeite a vontade dela. Um dia, quem sabe, ela poderá te surpreender?

Rodrigo Bianchini